Desvendamos o segredo dos figurinos dos filmes de Tim Burton!

Tim Burton criou um estilo tão particular para seus filmes, que só de bater o olho em uma cena qualquer logo pensamos: só podia ser do Tim Burton! Não foi a toa que seu universo peculiar virou tema de uma mega exposição, que está rodando pelo mundo todo. Como o Brasil está no roteiro da mostra para 2016 (oba!), resolvemos mergulhar no mundo dark de Tim

Super caricato, o diretor já criou um estilo que é praticamente próprio para suas produções, que mescla o meigo e o obscuro, e vai além do cinema, influenciando diversas áreas. Quantos objetos de decoração, roupas e acessórios já vimos por aí estampados com o fofo Jack Skellington, de O Estranho Mundo de Jack? E a Alicemania que rolou na moda em 2010, quando a versão do diretor para o clássico Alice no País das Maravilhas estreou nas telonas?

Os temas recorrentes nos filmes de Tim Burton são heranças de sua infância. Desde criança o diretor tem paixão pelo terror, lia contos de Edgar Allan Poe e era fã do ator Vincent Price (que fazia tantos filmes de terror e suspense que ficou conhecido como Mestre do Macabro e que fez uma participação em Edward Mãos de Tesoura). O gosto pelo mundo obscuro fica claramente expresso por meio dos temas de suas obras, onde sempre vemos monstros a aberrações que são mocinhos e ganham finais felizes.

 

A estética inconfundível de seus filmes também reflete seu gosto sombrio. Pode-se dizer que Tim se inspira no Expressionismo Alemão, estilo cinematográfico que teve seu auge na década de 20 e tem como principais características a presença de personagens bizarros, além de cenários distorcidos e maquiagens dramáticas (filmes como O Gabinete do Dr. Caligari e Nosferatu são exemplos). Além do terror, a solidão também está constantemente presente em seus roteiros – outro reflexo de sua infância, pois Tim era visto como estranho e maluco por outras pessoas.

 

Curiosamente, a primeira experiência profissional de Tim Burton foi nos estúdios da Disney, onde ajudou em algumas animações e lançou seu primeiro curta, chamado Vincent e que conta a história de um garoto que sonha em ser Vincent Price (será meio autobiográfico?). Nessa animação já é possível ver várias características que viriam compor o estilo do diretor: o tom melancólico e personagens de olhos esbugalhados. Após esse lançamento, Tim foi despedido, pois seu próximo roteiro, Frankenweenie (que só vingou em 2012), foi julgado como muito mórbido para crianças.

O grande segredo do diretor

A pessoa responsável por traduzir o universo de Tim Burton através das roupas atende pelo nome de Colleen Atwood. A figurinista já foi indicada 9 vezes ao Oscar e já levou 3 estatuetas para casa (por Chicago, Memórias de Uma Gueixa e Alice no País das Maravilhas) e trabalha com o diretor desde Edward Mãos de Tesoura. 

Colleen Atwood

Em entrevista para a revista inglesa Grazia, Colleen diz que o diretor tem uma visão que é gótica e contemporânea ao mesmo tempo, o que se assemelha muito à sua própria visão. Ao observarmos os filmes em que os dois trabalharam juntos, podemos notar seu cuidado com detalhes, vemos como as roupas se integram com o período histórico e ainda completam as personalidades dos personagens, sem perder o estilo de Burton. Quer alguns exemplos?

EDWARD MÃOS DE TESOURA

Em Edward Mãos de Tesoura, primeiro filme de Tim e Colleen juntos, é possível perceber como o traje de couro preto de Edward (interpretado por Johnny Depp) usado como uma segunda pele, funciona como uma armadura, que o protege e ressalta suas dificuldades, sua solidão e deslocamento em relação à população da cidade, considerada “normal”. E contrasta com a sensível Kim Boggs (a musa Winona Rider) e seus looks brancos e fluidos.

SWEENEY TODD

Em Sweeney Todd, outro filme de Tim Burton com Colleen e também estrelado por Depp, o figurino tem papel fundamental na composição do enredo. Enquanto o barbeiro está feliz e com sua família, vemos uma Londres ensolarada e roupas de cores suaves. Porém, após o personagem passar pelo trauma de perdê-los, vemos o a cidade nublada e fria, onde predominam roupas escuras e sombrias.

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Em Alice no País das Maravilhas, que rendeu a Colleen um de seus Oscars, o figurino manteve sua inspiração na obra original, porém reinventando o clássico e acentuando ainda mais as características dos personagens, principalmente da protagonista. Na versão de Burton temos uma Alice (Mia Wasikouska) com 17 anos – diferentemente da história de Lewis Carol, onde ela é apenas uma criança – e ao longo do filme é possível perceber sua transição da infância para a idade adulta.

No início do longa, Alice aparece com um vestido mais infantil, bem semelhante ao que estamos acostumados a ver na animação da Disney, e nas outras cenas ela usa vestidos mais adultos, com mais decotes e ombros de fora.

 

Além dessas produções, Tim Burton e Colleen Atwood já trabalharam juntos em Ed Wood, Marte Ataca, A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, Planeta dos Macacos, Peixe Grande e Sombras da Noite.

Mas não poderíamos terminar esse post sem uma menção honrosa…

OS FANTASMAS SE DIVERTEM

Outro figurino marcante dos filmes de Tim Burton, porém sem a presença de Colleen, é Os Fantasmas se Divertem. Mesclando humor com uma atmosfera sinistra, a obra rendeu o Oscar de melhor maquiagem em 1989 para sua figurinista Aggie Guerard Rodgers (que também foi figurinista de Star Wars, Episódio VI – O Retorno do Jedi). No longa, o personagem Beetlejuice, interpretado por Michael Keaton, aparece com 8 looks no total, mas nenhum tão marcante quanto o icônico terno listrado (alô tendência listrada de 2012!). O fanstasma fez tanto sucesso que virou desenho animado e até hoje se estuda uma sequência estrelada pelo próprio Michael Keaton (tomara!).

 

Enquanto isso, aguardamos ansiosamente pela próxima obra do diretor, o filme Big Eyes que será lançado no ano que vem. Com figurino também assinado por Colleen, o longa baseado em fatos reais, narrará a história da pintora Margaret Keane (Amy Adans), que fez sucesso nos anos 50 ao retratar em suas telas crianças com olhos grandes e assustadores. Ela lutou no tribunal com o próprio marido, também pintor, pela autoria de seus retratos. Com certeza vem coisa boa por aí!

Queremos saber: qual é o seu filme (e figurino) preferido do diretor?

||||| 2 amei! |||||

6 dicas super fáceis para decorar sua quitinete (sem reformas)

Você acha que quanto menos espaço no apê, mais fácil de decorar, já que cabe pouca coisa?  Na-na-ni-na-não! Na verdade, com menos espaço a complexidade para deixar tudo bem lindo e organizado fica maior. Mas temos várias dicas para deixar essa missão mole, mole! Vamos mostrar como organizar seu espaço em quitinetes ou lofts open space (sem divisórias), te dando ideias de como dividir entre quarto e sala sem ter que transformar seu lar em um canteiro de obras.

Vem ver como decorar sua quitinete sem precisar de reformas!

SEM SEPARAÇÃO

Rola deixar a quitinete sem divisão mesmo – é só perceber como compor a cama com cadeiras e/ou sofá. Isso cria um bom espaço de convivência, assim você pode receber sua galera confortavelmente. 

Para ter 2 ambientes diferentes no mesmo espaço e sem separação, basta colocar os móveis da “sala” em um ângulo diferente dos móveis do “quarto” (não estando um de frente para o outro, já fica com a sensação de dois nichos). Depois, para completar essa separação, um tapete resolve muito bem!

CAMA SUSPENSA

Essa ideia segue também essa onda de quitinete sem separação, mas com a diferença de altura. As camas suspensas são ótimas soluções para deixar a maior parte da casa com cara de sala, enquanto o seu “quarto” fica para cima, dando até mais privacidade (além de ser ótimo na hora de aproveitar o espaço, né)

CORTINAS

Se você quer ainda mais privacidade, cortinas são ótimas soluções! Além de dividir bem seu espaço, elas ainda viram parte importante da decoração. Afinal, elas adicionam textura, cor e estampa, deixando sua casa com aquela cara de lar doce lar.

ARMÁRIOS E BALCÕES

Além das cortinas, dá para aproveitar os próprios móveis para formar diversos ambientes dentro da sua quitinete. Utilize armários e balcões para aproveitar o espaço e dar uma boa sensação de divisão. 

ESTANTES

Ainda nessa linha de aproveitar os móveis para dividir os ambientes, as estantes são um outra boa saída. Elas dão uma sensação ainda maior de separação, já que sua altura faz lembrar uma parede. E são muito úteis para quem tem muita coisa para guardar e pouco espaço.

PAINÉIS E BIOMBOS

Outros ítens que podem fazer as vezes de parede são painéis e biombos! Dá pra fazer um visual lindo e adicionar aquele mesmo charme das cortinas: textura, cor e até estampa.

 

Depois, dê o toque final com umas plantas aqui, um toque de arte ali e muitas fotos por todos os lados!

||||| 14 amei! |||||

Os anos 70 são a grande tendência do verão. Quer ver só? ;D

Se eu tivesse que apostar numa tendência para esse verão, eu ia de all in nos anos 70. É que a década do paz e amor está super em alta com suas filosofias e grandes bandeiras da época de volta na nossa sociedade. É a politização da juventude, a propagação de um estilo de vida mais saudável, de uma vida com mais contato (e cuidado) com a natureza, entre outras coisas. São conceitos que acabam se refletindo também na moda e nas nossas vontades de look do dia (mesmo sem perceber)

E pra provar que os anos 70 são a grande tendência desse verão selecionei 7 peças da coleção de verão da Leader que representam muito bem os ícones da época. Olha só!

Batas

«« bata estampa indiana e short cintura alta Leader »»

É a peça ícone da década de 70 e todos usavam: homens, mulheres e crianças. As batas são super democráticas e vestem bem todo tipo de gente e depois de anos sumida, ela promete ganhar mais espaço nas próximas temporadas ;D

Franjas

«« cropped com franjas com short jeans estampado, Leader »»

Elas estão por todos os lados: sapatos, bolsas, bijoux e agora as franjas vêm com tudo nas roupas também. E é super fofo, gente. Ok, sei que tem muita gente que faz resistência (eu também tinha!), mas as franjas são legais, trazem um frescor e descontração pro look que tem tudo a ver com dias de verão.

Estampas florais

«« cropped com estampa floral, Leader »»

Flower Power! As flores eram o principal ícone dessa turma que pregava a paz e o amor e elas estavam em todos os lados, das cabeças aos pés, com coroas de flores, bordados, aplicações e claro, muitas estampas florais.

Tie dye

«« regata tie dye, Leader »»

O tie dye foi outra estampa que se tornou muito popular na época, principalmente por ter sido muito usado pelos rockstars de então. As pessoas tingiam suas próprias roupas em casa, dando uma cara nova e super autêntica à peças antigas.

Longos

«« vestido longo, Leader »»

Os anos 60 foram marcados geometrismos, comprimentos mini e formas mais retas e a década de 70 chegou para propor o oposto disso (contratendência) com peças mais leves e fluidas, com formas mais orgânicas e comprimentos longos.

Calça flare

«« calça flare, Leader »»

Naqueles tempos calça flare se chamava boca-de-sino e também era uma das peças chaves dessa geração e também era usada por homens e mulheres. Se naquela época faziam sucesso os modelos com cintura super baixa, agora a forma vem mesmo nos modelos de cintura alta que modelam e alongam o corpo :)

Anabelas

«« sandália anabela, Leader »»

Saltos mais confortáveis também são uma herança forte dos anos 70, já que com cada vez mais mulheres trabalhando, elas precisavam de sapatos que se adequassem melhor ao seu novo estilo de vida.

Nem você tinha percebido que os anos 70 estavam influenciando tanto o seu estilo, né? Pra conferir outras peças com inspiração setententinha é só correr na Leader mais próxima de você. Ah, e quando postar seu look não esquece de usar #sigamodasigaleader

||||| 6 amei! |||||

Como os casacos podem transformar os seus looks dessa semana

Aprendi no outono daqui do Rio de Janeiro quanto os casacos são maravilhosos para transformar looks e deixá-los muito mais interessantes (parece que eles dão um “acabamento” para qualquer roupa que você esteja usando). E agora na primavera e verão a saída é procurar modelagens e tecidos mais leves para continuar abusando do poder da terceira peça sem derreter por aí. Então nessa semana apresentamos três looks com casacos que vão te inspirar para os próximos dias e ainda muitos outros truques, como novos nós de lenços, acessórios lindos que fazem os looks, e muito mais.

Confere aqui como os casacos podem transformar os seus looks dessa semana!

Casacos look @danimelon

@danimelon

Dani Mello: Look básico de mestre! Olha como o casaco é folgadinho e gostosinho (perfeito para aquela noite no cinema, que tal?). As bolinhas do casaco se repetem na blusa branca, enquanto o p&b aparece também no tênis – o que produz aquele efeito meio combinadinho.

 

 

Kate Bosworth: Com um acessório como o lenço, pequenas mudanças já têm grandes efeitos. Adorei esse jeitinho de deixar o nó mais de lado e bem folgadinho, vê como o lenço transformou o look e deu um charminho.

 

 

Mariana Rios: Look básico, fácil e rápido para as meninas de estilo mais romântico e feminino: vestido rodado, coque e sapatilha. Não tem erro e funciona em qualquer ocasião!

 

 

Demi Moore: Amei como a atriz usou a camisa por debaixo do blazer! Primeiro pelo corte da peça, que é bem masculino, os detalhes “aparecidos” (como os punhos e as pontas de fora do blazer) e o bom e velho toque de cor que a camisa dá. E você também pode tentar essa sobreposição com outros casacos, tá.

 

 

Lily Aldridge: Que lindo esse pijama usado como casaco em um look de festa! Você pode reproduzir esse look também com um quimono longo, que já falamos que é tendência.

 

 

Lupita Nyong’o: Linda combinação de cores! Esse cinto grosso cobrindo o abdômen debaixo da blusa cropped também ficou maravilhoso e esse casaco trouxe uma textura incrível para adicionar mais pontos interessantes no look. Aliás, casaco com textura é certeiro para criar produções muito boas.

 

 

Alicia Keys: Alô você grávida: Aposte nos maxi colares já! Eles vão durar por muito tempo depois da sua gestação, funcionam com muitos looks e ainda atraem atenção para seu rosto, tirando um pouco o foco da barriguinha e, assim, equilibrando a silhueta.

 

 

Michelle Monaghan: Achei o máximo essa blusa meio baby doll por baixo do colete de alfaiataria. É uma saída para quem não curte usar só o blazer ou o colete sem nada por baixo, e ainda deixa o look muito sensual.

 

 

Kate Middleton: Sensualidade na gravidez é uma coisa linda demais, gente! Adorei como a Kate ousou com esse vestido de tricô cheio de transparências, mas que ainda seguem o estilo dela (tem um cinto de lancinho bem fofo). A dica aqui é não ter medo de usar um pouco a sensualidade quando você estiver se sentindo bonita (até mesmo grávida).

 

 

Anne Hathaway: Reparou na pulseira-anel dela? Além de resgatar nossos queridos anos 90, o acessório deixou o look poderoso e ainda combinou com o colar, que tem um pingente nas costas. Deu uma levantada no vestido, né!

||||| 4 amei! |||||