O empoderamento feminino precisa se tornar realidade no mercado de trabalho e nas áreas de liderança. Vem conferir a voz das mulheres da Coca-Cola Brasil 

Carla Lemos na Coca-Cola Brasil

Não é fácil promover as mudanças que a gente quer e precisa ver no mundo, sabemos muito bem disso. Principalmente, quando vivemos num período de transição de ideias e ideais. Ninguém está realmente “pronto” e estamos todos desconstruindo antigos preceitos e aprendendo na prática como fazer isso juntos, não é mesmo?

Há algumas semanas, fui convidada pela Coca-Cola Brasil para participar de um projeto muito especial: ajudar a contar as histórias de mulheres transformando efetivamente seus ambientes de trabalho. Mais do que bons exemplos de mulheres de sucesso e de como uma empresa pode ser o catalisador de tanto potencial, iniciativas como as da Coca-Cola Brasil provam que é sim possível que ocupemos nossos espaços de forma mais justa.

Para quem não sabe, a companhia tem como diretriz promover o empoderamento das mulheres e, por isso, se tornou signatária dos Príncipios de Empoderamento da Mulheres criado pela ONU Mulheres. Mais do que uma assinatura, essa é uma realidade e eu pude conferir pessoalmente conversando com essas quatro mulheres incríveis:

coca-cola

Iana, por exemplo, entrou no Sistema Coca-Cola como auxiliar de limpeza em uma das fábricas. Lá dentro, ela se interessou pelas empilhadeiras e resolveu fazer o curso, não se intimidou por ser uma função dita como masculina. Ela gostava de se desafiar e treinava muito para fazer cada vez mais. Além disso, Iana sempre tinha a resposta (e boas sugestões) que a galera precisava para resolver questões de trabalho e juntando isso a seu senso de responsabilidade e pró-atividade, ela se tornou destaque e foi promovida. Hoje ela lidera o setor. Do RH veio a sugestão de se especializar ainda mais (porque é assim que se estimulam talentos), e hoje Iana cursa a faculdade de logística. E com o “caminho aberto” no setor, outras mulheres se interessaram pela área e hoje, seu antigo cargo é ocupado por outra mulher – a quem ela não só dá todo apoio mas conta, toda orgulhosa, que faz o trabalho ainda melhor do que ela fazia.

Carla Lemos na Coca-Cola Brasil

Já a Camila acabou de voltar da licença maternidade, que na Coca-Cola Brasil é de 6 meses (e que ela ainda pôde juntar com as férias e ficou 7 meses com sua recém-nascida). O apoio para engravidar veio da sua própria diretora, que também é mãe, um comportamento fora do comum no mercado de trabalho tradicional. A empresa proporciona à Camila e demais associadas flexibilidade de horários, auxílio creche e possibilidade de trabalhar em home office quando necessário.

Anamarina, trainee da área de sucos e chás da Coca-Cola, é uma “advogada” dos cabelos naturais. Depois de ter passado um período no Ciências sem Fronteiras, no Canadá, ela se sentiu inspirada pela liberdade da galera em ser quem quisesse e começou a cultivar seus cabelos naturais. Quando ela chegou na Coca-Cola Brasil, entendeu que seu cabelo podia ajudar no processo de empoderamento de outras mulheres dentro da empresa – e, inclusive, influenciou uma diretora a voltar a usar seu cabelo natural. Como disse no vídeo, o comportamento de Anamarina como líder é estimulado internamente (mesmo sendo trainee) e ela comanda projetos relevantes com poder de decisão.

img_3517

Segundo a Marcia, que faz parte do Comitê de Diversidade, promover a equidade no ambiente de trabalho é entender as necessidades e especificidades de cada grupo. A busca pela equidade e diversidade é mais do que colocar mulheres em cargos de comando, é gerar desenvolvimento dentro da empresa e é esse desenvolvimento que vai gerar os graus de equivalência entre as pessoas.

 » um pouco dos bastidores

Fiquei muito feliz de conhecer essas histórias e principalmente, compartilhá-las com todo mundo pra que bons exemplos possam ser seguidos e copiados por tantas outras empresas desse Brasil.

||||| 8 amei! |||||

Sobre o autor

blogger in chief

Carla Lemos é a criadora do Modices, um dos mais influentes blogs de moda do Brasil. Carioquíssima, Carla cursou as faculdades de moda e publicidade, foi stylist de globais e há 7 anos criou o Modices para falar de moda de um jeito mais leve e divertido.