carnaval

Ano passado, o desfile do Boi Tolo foi marcado por um “racha” – superlotado de músicos e foliões, bloco acabou seguindo dois trajetos – o que deve se repetir esse ano. As dissidências parecem ser a tendência do ano. Não que isso seja uma coisa ruim: crescer demanda profissionalização, e para tal, é necessário se enquadrar nas regras da prefeitura. Assim, cisões acabam sendo benéficas para quem quer curtir o carnaval de rua mas não curte blocos mega lotados.

Aqui uma pequena lista de blocos alternativos – exceção apenas para o Bloco Virtual, que, apesar de fazer parte da programação oficial, mantém o espírito de bloco alternativo.

{ Quinta-feira, 4 de fevereiro

Minha Luz é LED, Centro


Depois de servir de soundsystem para o Viemos do Egyto e Bunytos de Corpo (dois dos blocos mais hipsters alternativos do carnaval de 2013), a banda Biltre usou o know-how adquirido para criar seu próprio em 2014. No lugar de instrumentos, uma aparelhagem de som construída pelos próprios caras, com 2000w de potência. No repertório, do carimbó ao axé dos anos 90, passando pelo rock dos anos 70.

O bloco sai hoje às 22h30, no Centro, de acordo com o evento no Facebook.

{ Sexta-feira, 5 de fevereiro

Bloco Virtual, Calçadão do Leme, perto da Pedra do Leme

Não se deixe enganar pelo nome: o bloco não possui nada eletrônico, nenhuma proposta modernosa e zero hipsterice. Sem se ater a apenas um estilo, o Virtual tem, na minha opinião, o melhor repertório do carnaval: marchinha, chorinho, axé, música balcânica, reggae e até música erudita são misturados com igual desenvoltura, sem que nada soe forçado. Possuem um dos naipes de metais mais afiado do carnaval – iniciantes são bem vindos aos ensaios, mas o nível dos músicos e a complexidade da maioria das músicas (que não costumam ser tocadas por outros blocos) é muito alto, o que afasta quem só quer fazer barulho com trombone.

É bom chegar bem cedo para poder ficar perto dos músicos, e porque o bloco encerra os trabalhos antes das 22h. Ponto alto: cantar “A Luz de Tieta” a plenos pulmões. Você pode acompanhar mais infos por aqui.

bloco virtual, carnaval do ano passado

bloco virtual, carnaval do ano passado

{ Sábado, 6 de fevereiro

Fanfarra Black Clube, Centro

Formada por um grupo de amigos músicos para o Carnaval de 2014, a Fanfarra Black Clube chega ao seu terceiro carnaval estreando músicas originais. Depois de um desfile um tanto decepcionante no ano passado – lotado por conta da fama conquistada por seu desfile de 2014, e debaixo de um calor de 40 graus – a banda/bloco decidiu que menos é mais, e vai divulgar apenas no boca a boca o local do desfile. Mas solto aqui alguns spoilers: não vai ser mais em Santa Tereza, mas no Centro, com concentração marcada para as 17h em algum lugar perto da Catedral Metropolitana. Para mais detalhes, acompanhe a página da banda.

Ponto alto: a estreia no Carnaval de Osvaldo, o Pombo, cuja história você pode conferir aqui.

{ Domingo, 7 de fevereiro

Cordão do Boi Tolo, Praça XV

Em 2006, quando o Facebook ainda não era aberto a brasileiros e o Whatsapp ainda nem havia sido criado, o Cordão do Boi Tatá não concentrou na hora e no local marcado – estratégia que usavam para evitar a superlotação. Sentindo-se enganados, foliões improvisaram um bloco – e assim estava formado o pioneiro dos blocos alternativos. Hoje, o Cordão do Boi Tatá faz parte da programação oficial do carnaval de rua, superlotando a cada ano a Praça XV nos domingos pela manhã.

Ano passado, após muito debate entre os músicos sobre o horário do desfile, parte do bloco começou às 7h da manhã e outra depois das 10h, no rescaldo do Boi Tatá (no fim, mais esvaziados, os dois grupos acabaram se encontrando). Para esse ano podemos esperar mais subdivisões – com surgimento de novos blocos, talvez? O que não é necessariamente ruim para um bloco que não quer se enquadrar em regras, mas que a cada ano vinha atraindo mais e mais foliões.

{ Segunda, 8 de fevereiro

Um minuto de silêncio em homenagem ao já lendário bloco que muda de nome a cada carnaval – já foi Exalta Rei, Centrão vai virar mar, Baianada, Boa noite Cinderela, Saravaço, Oh Menage – e que não vai desfilar esse ano. Mas esteja atento: novos blocos vão tentar ocupar o vácuo deixado pelo “bloco secreto”, então segunda-feira promete.

{ Madrugada de Segunda para Terça, 9 de fevereiro

Bloco dos Amigos da Onça

Anárquico, pós-tropicalista, mesopotâmico. O bloco/coletivo artístico foi criado em 2011 pelos músicos Tarcisio Cisão e Gabriel Gabriel – amigos de infância e figuras fáceis nas madrugadas do centro do Rio, que assim como o flautista de Hamelin, têm o poder de encantar pessoas com seus saxofones, que os acompanham em danças coreografadas.

Ponto alto: amanhecer no centro o Rio com o bloco. A concentração pode ser marcada para algum horário entre meia-noite e 3 da manhã, mas não é raro os músicos só começarem a chegar à partir das 4. Quer uma palhinha? Confira a página do bloco.

{ Quarta, 10 de fevereiro

Mulheres Rodadas

Surgido como uma reação aos idiotas que tentaram emplacar o slogan “Não mereço mulher rodada”, o bloco feminista é formado por músicas da Damas de Ferro – primeira fanfarra carioca formada apenas por mulheres – e membros do Ataque Brasil e da Fanfarra Black Clube. Em seu segundo carnaval, vão levantar a bandeira não só contra o machismo, mas também contra a LGBTfobia e racismo.

O bloco sai às 9h da manhã do Largo do Machado, segundo o evento no Facebook.

{ Quarta-feira de cinzas, 10 de fevereiro, e sábado 13 de fevereiro

Me Enterra na Quarta e Ressuscita no Sábado, Santa Teresa

mais de uma década, o Me Enterra reune músicos (e foliões) guerreiros de diversos blocos alternativos ainda dispostos a dar últimos sopros de vida em seus trombones e trompetes. Sem aguentar esperar um ano até o próximo Carnaval, o mesmo grupo criou o Ressuscita no Sábado, para dar um último adeus à folia – ou apenas um até logo.

A concentração normalmente é marcada para às 17h, mas o bloco costuma começar apenas às 20h (então dá para descansar bastante antes de partir para Santa Teresa). Para achar o bloco, basta seguir gente fantasiada nas imediações do Largo dos Guimarães por volta das 19h.

Ponto alto: se deixar levar pelo bloco, que não tem hora para terminar nem itinerário definido.

•••

Post do nosso colaborador especial para Blocos de Carnaval, Bruno CorreiaBruno prefere blocos fora da programação oficial, e aprendeu trombone para tocar no Carnaval. Mora desde o ano passado em Berlim, e de alguma maneira consegue estar por dentro do que está rolando na cidade. É escritor, tradutor e roteirista.

||||| 5 amei! |||||

Sobre o autor

Esses posts são feitos em conjunto pela equipe - juntando as ideias loucas de umas e a sensatez de outras - e representam o que a gente acredita, aposta ou quer discutir com o mundo. Porque tudo que é compartilhado é mais incrível.

  • http://www.carinapedro.com/ Carina Pedro blog

    Achei demais este post! Sou de SP e fiquei com muita vontade de conhecer um desses blocos cariocas secretos. Devem ser muito divertidos! Quem sabe no ano que vem =)