Estilo

Cinquenta tons de cinza (controvérsia)

3 de março de 2015

Comentários

  • Eu vejo o filme da segunda perspectiva que você citou: uma mulher que se sentiu atraida pelo cara, ficou curiosa sobre os “segredos ” dele e decidiu entrar nessa por livre e espontânea vontade (e não por pressão e etc), tanto, que impôs os termos dela (o que aceitaria ou não) no contrato, e ele, deixou ela livre pra decidir.. sei lá! Até porque, quando ela viu que não dava pra ela, caiu fora e deixou ele lá! http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

  • Gabriela S. Padilha

    Precisamos de menos machismo nos filmes, não importa o assunto do qual ele trate.. http://www.alemdolookdodia.com

  • Jota Meerre

    As vendas dos livros e a audiência do filme deixam claro que muita mulher gosta sim de ser dominada , além de estarem pouco preocupadas a se limitarem a um esteriótipo feminista ou ser a imagem e semelhança da “mulher maravilha” , ACHO BURRICE ESSA CONVERSINHA IDIOTA DE FEMINISTA QUE SEMPRE PROCURA INCRIMINAR O HOMEM E COLOCAR A MULHER COMO UMA VITIMA DA SOCIEDADE (O QUE É MENTIRA!!!!), CADA PESSOA É UMA FORMA DE PENSAR, QUAL O PROBLEMA SE EXISTE MUITA MULHER QUE GOSTA DE OBEDECER? LIBERDADE DE ESCOLHA É ISSO! COLETIVIZAR IDEIAS, SEGREGAR AS PESSOAS EM GRUPOS DISTINTOS (MULHERES, GAYS, NEGROS…) É CRIAR DISCÓRDIA, GUERRA E SEPARAÇÃO, LEMBRANDO QUE FEMINISMO É COISA DE GENTE FEIA, BURRA E ESTUPIDA

    • Tassia

      Gente, seria pra levar a serio uma pessoa que diz umas baboseiras assim, depois de um texto super bem elaborado e instrutivo? As pessoas nao tem vergonha da propria burrice?

  • Priscila Cabral

    Luiza, obrigada! Você me fez ver o filme (online, dar bilheteria já é demais). afinal como comunicadora que sou, não posso me dar ao luxo de não estar à par de tal fenômeno. Estou com muitas coisas na cabeça e vou organizá-las voltando a escrever na página de um amigo de resenhas/criticas de filmes. Há meses não produzia nada, obrigada por isso também.