Empoderamento

Desconstruindo a silhueta: Uma forma de empoderamento

16 de fevereiro de 2016

Comentários

  • Giovanna Airoldi

    Olha, vou ser polêmica: essa desconstrução de silhueta é o oposto de empoderamento pra mim. Eu só uso saião, camisetão, roupa larga. Adoro e virou meu estilo. Mas também me prendi a esse jeito de me vestir. Comecei a usar roupas mais largas porque estava cansada de sair com as pernas de fora ou com um decote e ser cantada e assediada na rua. Eu me sinto protegida embaixo das minhas roupas largas, e, no fundo, isso me deixa meio triste. Desaprendi a botar qualquer coisa acima dos joelhos ou que marque minha bunda, me sinto exposta e sei que vai vir algum macho desagradável interferir no meu espaço. Sei lá. Nunca usei decote ou roupa justa esperando validação masculina. Mas uso, sim, roupa larga e “silhueta desconstruida” pra me esconder de homem.

    • Izabele Renata

      Temos um paradigma aqui, não sei o que dizer mais.

  • a isa

    oi, nina, adorei a matéria! mas senti falta de mulheres negras nas fotos…

  • Maria Cláudia Senna

    Acho lindo PODER usar esse tipo de roupa… considero empoderamento sim, porque o que esperam de nós é exatamente o oposto… e desafiar a lógica, o censo comum, as imposições bestas que nos fazem é a melhor sensação de PODER! Eu sou Arquiteta… e na minha área o glamour é o que mais conta, aparências, fachadas… já perceberam? Visual é o mais importante. Pensam assim: “se aquela arquiteta não sabe nem escolher uma roupa decente pra vestir, como pode ter bom gosto pra fazer a minha casa?”. Sério, é bem isso. Adoro ser eu mesma, ser diferente desse padrãozinho… adoro isso! ;)

    http://www.mariaclaudiasenna.com